Centavos Desprezados

Em 1987, um calouro universitário, encontrou uma forma inusitada de financiar a sua educação. Ele convenceu um famoso colunista do jornal local a pedir seus leitores para enviarem “um centavo para a minha educação”.

“Apenas um centavo”, declarou o estudante. “Um centavo é insignificante”. Se cada um vasculhar a sala neste momento encontrará um centavo embaixo do sofá ou caído ao chão. Isso é tudo o que eu peço. “Um centavo de cada um dos leitores deste conhecido jornal”.

Em menos de um mês o fundo atingiu um valor superior a 2,3 milhões de centavos. Chegaram doações de todo o país e também do México, Canadá e das Bahamas. No final das contas aquele estudante conseguiu o suficiente para pagar por sua educação!

Um único centavo não vale muito – a menos que seja somado à uma porção de outros centavos. A mulher sobre a qual lemos em Mateus 12 deu o equivalente a uma fração de centavo, que era “tudo quanto possuía” (Mateus 12:44). Mas Jesus honrou aquela pequena oferta.

O sacrifício da viúva foi um exemplo e um incentivo para os discípulos – e para nós. Ela deu tudo o que tinha. Será que algum dia fomos assim tão generosos? Jesus usou uma viúva desconhecida para nos ensinar o verdadeiro significado de ofertar.

Era menos de um centavo, ainda assim era uma oferta de valor inestimável de amor a Deus.


SE ESPERAMOS PELO ENRIQUECIMENTO, TALVEZ JAMAIS DOAREMOS.

FONTE:

Cindy Hess Kasper