Manter a mente em paz para enfrentar o ódio e a agressividade

Manter a mente em paz para enfrentar o ódio e a agressividade

Os bons pensamentos possuem uma característica: aceitam riscos.

Quantas vezes uma cozinheira dedicada escuta críticas deseducadas?

Quantas vezes o fazer bem feito se transforma em desprezo?

Quantas vezes quem ajuda ao próximo encontra a ingratidão como resposta?

Muitas, e sempre será assim.

A cozinheira dedicada manterá a dedicação se privilegiar o que ganha de elogios e satisfação pessoal.


Quem faz bem feito manterá a competência se focar nos ganhos que terá em outros momentos

Quem ajuda superará a ingratidão se mantiver seu coração repleto dos mais nobres sentimentos de amor e dedicação.

Qual o segredo para manter as boas vibrações?

Focar em ganhar e dar pouco valor à perda.

Oferecer o que é bom e suportar o negativo.

Uma mente presa nos maus pensamentos faz o contrário: foca a perda e diminui os ganhos.

Se você quer uma mente em paz terá que tolerar os riscos.

Se os riscos forem intoleráveis, terá que mudar sua vida.

Mas, tenha certeza, toda vida boa e repleta de boas experiências terá vários riscos.

É como diz o ditado: “só tem medo de ver seu tesouro roubado quem possui um”.

Qual é o tesouro? É sua paz interior.

Observe esta situação: duas pessoas andavam felizes na rua quando alguém as xingou. Uma delas ficou indignada e irritada; sua mente ficou pensando no xingamento. A outra continuou alegre e seguiu seu caminho, sem que aquela situação gerasse nenhum pensamento em sequência.

Uma ficou infeliz e a outra continuou feliz.

A que ficou feliz não perdeu seu tempo julgando ou tecendo opinião (seja positiva ou negativa) do outro.

Seu foco foi persistir no seu caminho e atingir os objetivos mais importantes para sua vida.

Ela continuou e persistiu. Não se desviou do seu caminho.

Ela sabia o que realmente era importante. E se encaminhou para esta conquista.

A pessoa que ficou infeliz desviou-se do seu objetivo mais importante. Perdeu tempo e encheu sua mente de pensamentos, sentimentos e sensações não prioritárias (nesse caso eram ruins, mas em outros casos podem ser positivas – sempre, porém, irão DESVIAR a pessoa de seu foco).

Mantenha seu foco: amar, fazer bem feito, ajudar, colaborar e construir algo bom.

Não permita que a imaturidade de outras pessoas venha até você e te desestimule a seguir em um bom caminho.

Lembre sempre de quem você quer ser e do preço que terá que pagar para manter o amor pulsando firme e forte em sua vida.

Regis Mesquita

Deixe um comentário!