Os Pobres Entre Nós

Os Pobres Entre Nós

Em seu livro Louco Amor (Mundo Cristão, 2009), Francis Chan conta a história de uma família que tem uma tradição natalina interessante. Na manhã de Natal, a família não cumpre a tradição de abrir os presentes que estão sob a árvore de Natal. Em vez disso, eles preparam um farto café da manhã e o servem aos sem-teto. Este é um jeito simples, mas criativo de demonstrar a generosidade e o amor de Deus aos pobres.

Deus esperava este tipo de generosidade do Seu povo. Em Deuteronômio 15, Moisés enfatizou como a pobreza existe e a maneira como os mais ricos devem lidar com ela. Ele os advertiu sobre quatro perigos:

Ter o coração endurecido e ignorar as necessidades dos pobres (Deuteronômio 15:7).

Ter a mão fechada e reter o que falta aos pobres (Deuteronômio 15:7).

Ancorar o pensamento vil no coração e hesitar ou se recusar-se a emprestar dinheiro aos pobres porque o ano do cancelamento das suas dívidas se aproxima (Deuteronômio 15:9).

Ser egoísta e relutar em satisfazer as necessidades dos pobres entre eles (Deuteronômio 15:10). Eles não apenas foram advertidos sobre o egoísmo, porém o mais importante – foram incentivados a serem espontaneamente generosos (Deuteronômio 15:8,10,11).


Entre o povo de Deus, deve haver sempre um espírito de generosidade em relação aos pobres. Vamos abrir o nosso coração e as nossas mãos.

DEVEMOS AJUDAR OS OUTROS COM GENEROSIDADE. SE ESPERARMOS POR RIQUEZAS PARA PODER AJUDÁ-LOS, TALVEZ NÃO AS ALCANCEMOS.

FONTE:

Marvin L. Williams

Deixe um comentário!