Vales de Frivolidades

Vales de Frivolidades


Às vezes, cruzo por certos vales de frivolidades, habitados por fantasmas que se assemelham à humanos. São imagens reais, apesar de parecerem ilusórias, mas também são apavorantes, pois possuem certos desvarios que, em seus habitats, são amplamente aceitos como parte do modus vivendi local. Entre estes disparates, os mais triviais são a arte de escrever sem dizer nada, a pretensão de falar sem ter significado, a audácia de expressar sem ter conteúdo, a ousadia de compartilhar sem dar nada, o atrevimento de viver sem estar vivo e a ignomínia de morrer sem ter vivido. Confesso que sinto veementes calafrios quando me encontro neste ambientes. Sempre tento evitá-los com inabalável convicção, mesmo assim, acho que vivo à mercê dalgum infortúnio, pois vez que outra, mesmo sem querer, me encontro nestes indesejáveis lugares.
Cargnin dos Santos, Tadany. Pensamento 886. www.tadany.org ®

Facebook Comments

About